1 de novembro de 2011

myself

As mulheres geminianas.

É interessante, porque a mulher de Gêmeos, de certa forma, acaba sendo a personificação do desejo de muitos homens: o de possuir mais de uma mulher. Sim, porque uma coisa que a geminiana não sabe, é ser uma mulher só todo o tempo. Existem sei lá quantas mulheres ali dentro daqueles olhos agitados. E devo dizer que não é fácil atrair o seu foco por tempo suficiente pra que essa mulher se apaixone. Ela viaja e faz comentários sobre várias coisas ao mesmo tempo. Mas uma vez que você consiga estabelecer uma sintonia física, mental e espiritual com ela seus olhos vão focalizar em você (finalmente!!).
Não se anime tanto. Ainda está lá todas as outras mulheres. A geminiana é conhecidamente a montanha russa do zodíaco, muito diferente da estabilidade convicta das taurinas. Ela logo irá se apaixonar por seus olhos, sorriso e jeito de falar. Mas daqui um tempo identificará (em voz alta) um leve estrabismo, dentes amarelos e o jeito ridículo como você assobia o 's' em todas as palavras. Quanto mais jovens, mais o amor será seu preferido... jogo. Mas persista, meu amigo, porque não é sempre que se acha duas em uma por aí.
Pra conquistar uma geminiana, tem que saber e gostar de lutar. Elas não se entregam fácil. Enquanto ela escuta você falar e o acha deliciosamente inteligente, no seu interior obscuro reflete sobre como você pareceu não se importar com a música interessante que começou a tocar há um minuto atrás. É meio confuso do lado de dentro dela, sempre em conflito. Mas as nativas de Gêmeos nunca vão externalizar isso literalmente... Embora seja possível ve-la dar pulos de alegria pela manhã, fugir de seus acessos de raiva à tarde e ouvi-la chorar à noite. Ela sabe transitar facilmente da mulher fatal, que deixa qualquer um sem palavras pra explicar, até aquela mulher enrolada num edredon-TV lambendo uma colher de brigadeiro. Pelo lado bom: dificilmente as coisas serão monótonas.
Ela é uma companheira fantástica. Sua mente é elétrica, te acompanha em todo tipo de programa e conversa. Ela se interessa por tudo e reserva algum comentário sobre quase todas as coisas. Basta que você desperte a curiosidade dela. E aliás curiosidade e geminiana é que nem unha e carne.
Se você está morrendo de amores por essas mulheres, é bom que goste de aventuras e emoções. Uma vez que você esteja com uma dessas, estará com todas as outras entende? Vai ter dias que o café ta manhã estará lindo e delicioso te esperando, mas em outros você vai passar por quartos caóticos e cozinhas em acesso de raiva. Terá uma mulher disposta a ceder a seus desejos ou alguém que você precisa correr para alcançar.
Mas quer saber de uma coisa? Acho isso fantástico. Os vizinhos vão se comer de inveja sempre que você acorda e aparece com uma nova mulher por aí.
Sabemos, claro, que é apenas a sua geminiana exercitando o que ela sabe fazer de melhor: ser tudo.

28 de outubro de 2011

I promise

I won't let you close enough to hurt me. I won't ask you, you just desert me. I can't give you, the heart you think you gave me. It's time to say goodbye to turning tables.

24 de outubro de 2011

Agora é oficial!

P-A-S-S-E-I!!!!!
Já posso ser considerada uma comissária de bordo com certificação brasileira! :)
Semana passada fiz a tão esperada e temida prova da ANAC e o resultado foi super positivo!
Levei a sério nos dias anteriores e me matei de estudar!
Agora é relaxar e VOAR!
Como eu sigo plano atrás de plano na minha vida, o de morar nos ares ficará dormindo por um tempo, mas não vejo a hora de conseguir honrar todo o meu esforço para conseguir essa licença.
O que interessa é que estou muito FELIZ e orgulhosa de mim!

Mais uma conquista alcançada!

,)

28 de setembro de 2011

21 de setembro de 2011

All over again

Sabe quando a sua cabeça tá tão cheia de coisa que ela simplesmente para de funcionar?
Preocupações amorosas, profissionais, corporais, de saúde, de futuro.
E aquele lance de resolver uma coisa de cada vez, onde fica?
Tudo demanda tempo. Tempo demanda paciência. Paciência demanda maços e maços de cigarro.
Começar pelo mais fácil era a sugestão, mas a gente sempre quer o difícil, o impossível.
Esfriar a mente, colocar as ideias no lugar. Aham, na teoria ajuda...
Eu vou mais é tomar uma cerveja, ligar aquele famoso botãozinho e dar a chance pro destino me dar um sinal. Vai que sou eu que não tô conseguindo enxergar as luzes de apoio que estão me sendo dadas?
O problema é que a cegueira é inconscientemente proposital...

25 de agosto de 2011

For the rest, we will see!

"... Temperamentos diferentes provocam discussões contornáveis. Já a falta de afinidades pode reduzir um dos dois a mero coadjuvante da vida do outro.
Logo, não importa se ele chega sempre atrasado e você é a rainha da pontualidade, desde que ambos tenham a mesma visão de mundo e os mesmos valores. Esse é o prato principal de todo relacionamento. O resto é tempero."

18 de agosto de 2011

Um na mão ou dois voando?

Eis a questão.
Sabe aquela famosa simpatia-conselho de amiga-falta do que fazer de que fazer uma lista de pós e contras pode abrir um pouco a mente? Já cheguei a tentar. Não literalmente, pegando um papel e uma caneta colorida, mas mentalmente.
A conclusão? Boa pergunta... não me adiantou em nada.
"Vale assumir o risco", "dê uma chance pro novo", "não vai morrer na praia". Ai, bem que disseram que se conselhos fossem bons, seriam vendidos...
Até que ponto omitir um fato é perdoável? Ou melhor, até quando uma mentirinha sem importância vale como desculpa pra aquilo que você não teve coragem de assumir?
Sou adepta da verdade, nua e crua. Mas isso só vale pros assuntos que não tiram meu sono e que não deixam meus pensamentos vagando por aí.
Esses últimos, eu fico alugando meus amigos, contando e recontando toda a história, tentando achar uma saída, uma solução.
Mas quer saber?
That's enough!
A vida tá me dando de bandeja a resposta pra tudo isso. E eu decidi estender a mão.

15 de agosto de 2011

Back to hell

Do you know how is that feeling that hurts you a lot? That one that doesn't go away for ages? Yeah!
But i'm not talking my heart feelings. My suffering about a fucking feeling that makes you feel useless!
I'm back to school. The university, i mean.
I come every night, from 7 to 11, to have some classes that I don't even know for what they exists.
Let me explain myself. When I was younger, i didn't know what to do. And I had a lack of sense for half year and I decided to study in a fucking boring school and a course even more boring.
Now, I regret. Of course I do. It doesn't mach with me at all!
Just myself and God know how much i hate everything here.
Who the fuck likes accountancy? Apart of me, when I was 17. And those 20 fuckers that are beside me, watching the classes with proud, with love, with interest about it. I can't understand, I swear.
Numbers instead of words. NO, it's not right.
Now, a little more older, with a little more of experience, i can see that I love other things.
Aviation! I think that it's the pleasure of my life. At least, so far.
But who ensures that it's the right thing though?

Oh lord, give me some signals!
It's so confusing that shit.
So confusing...



11 de agosto de 2011

,)

Sem mais!

21 de julho de 2011

Nail polish mode on!

Nunca pensei na vida que eu ia criar um amor por uma coisa tão... tão marrom quanto esmaltes!
Foi só começar a morar com a Carolina, minha musa inspiradora, que eu desenvolvi esse mais novo vício: comprar esmaltes e afins! :)
Blogs, sites, compras coletivas e tudo mais. Sim, tô levando a sério!
Cada vez que passo em frente de uma perfumaria ou sth like that, dou uma passadinha pra ver as novidades.
Ganhei um caixa liiiindja da Lelê de aniversário, pra organizar melhor os meus vidirinhos!
Porque a caixinha antes usada já estava explodindo!
Juro, me achei nesse hobby! Quero pintar as unhas 3 vezes por semana, mas a preguiça ainda não teve esse upgrade... ela continua a mesma!

Novidades, apareçam! Te quero!!!!!

17 de julho de 2011

Fapija 2011!


Desde que me entendo por gente, sei que a Fapija é o evento do ano na minha cidade. Fapija significa "Feira Agropecuária de Jacareí" ou algo parecido.
Acontece todo julho na pacata interiorana cidade de Jacareí, onde resido nos fins de semana.
São dez dias de shows, na sua maioria sertanejos, que levam a galera a loucura!
Fazia dois anos que eu não ia, mas confesso que achei que estava exatamente igual quando deixei em 2008.
Juntei meus amigos da faculdade e outros de longa data e fomos em dois shows: Maria Cecília e Rodolfo e Paula Fernandes. Sim, pode suspirar e dizer agora: QUE BOSTA! Eu vou concordar com você. Deosdocér!!!
Primeiro que chegamos nas duas últimas músicas no show da MC&R, o que não foi de todo mal, já que eu não conhecia nenhuma música que prestasse! ahahaha! Rola a baladinha sertaneja depois, com um público mais selecionado. Eu não disse bonito, right?
Depois, o show da linda-maravilhosa-perfeita (pros outros, porque pra mim ela é orelhuda e força muito a voz) Paula Fernandes era tão, mas tão parado que eu quase encostei no ombro do Rafa e dormi. Mas ai veio a Garda... (piada interna, sorry).
Já falei que o patrocinador oficial era a Cristal? Aquele xixi que eles tem a cara-de-pau de chamar de cerveja. Sim, tomei dois porres disso no ano já. O suficiente pra esperar o ano que vem pra isso acontecer de novo. Juro, a dor de cabeça foi teeeeeeensa nos dias seguintes.
Enfim, se não fosse ruim, não seria bom! Dá pra entender?
Eu ainda assim adoro, me divirto, como pastel, morango com chocolate, churros e afins. Coisas "típicas" da Fapija.
No próximo ano, talvez estarei lá de novo. Tenho que prestigiar minha cidade, não? Acho que não...

5 de julho de 2011

Survival in the jungle


É, tudo faz parte de uma escolha.
Quem mandou querer ser comissária de bordo? Quem? Quem? Aliás, são poucos os que apoiam esse meu novo dom descoberto.
E como ofício tem seus ossos, tive que participar de mais um treinamento prático. Ano passado já tinha feito tanto sobrevivência no mar e combate a incêndio. Dessa vez, fomos mesmo foi pra selva!!!
Tudo bem que não foi tão punk quanto eu imaginei, mas o meu medo de animais veio a tona mais uma vez!
Fomos as 5 da matina e voltamos as 21h... Fogo de novo, água a 4° de temperatura (delíííííícia #not) e um treinamento básico de selva, de como acender uma fogueira, fazer abrigo e alimento com nada mais nada menos do que uma galinha mini (devia pesar meio quilo máximo) com chuchus, nhames, meia abóbora e jiló, tudo num caldo boooooom. #notagain.
O abrigo que eu fiz foi tão mal feito que um ventinho qualquer derrubaria aquilo... Mas pra fins de treino, deu bastante pra aprender...
A fome que me preocupava tanto nem apareceu com tanta força assim. O frio foi mais tenso que a fome e o sono. E o medo, com toda certeza do mundo.
Foi achada uma aranha na árvore, mas ainda bem que bem longe de mim...
Demos muitas risadas, cantamos muito no ônibus, como uma excursão de época de escola.
Cheguei em casa com umas dores nos braços e nas pernas como nunca senti na vida. E a gripe que vinha me acompanhando durante a semana se transformou numa infecção respiratória que me fez entrar no antibiótico.
Mas histórias pra contar não vão me faltar. Nem a mim, nem aos 70 alunos que fizeram parte dessa semi aventura na selva.

1 de julho de 2011

Antes e depois, digo, agora!

OMFG!!!
Há 6 anos atrás, no dia 1o de Julho de 2005, eu entrava numa sala de cirurgia no Hospital Albert Einstein pra fazer nada mais nada menos do que uma operação de Buco-maxilo facial.
Não foi nada estético, muito pelo contrário. Eu tinha e sofria muito com problemas de ATM e dores de cabeça todos os dias da vida. Descobri que o problema era ósseo e então fui atrás pra operar.
Tudo isso era ok, até eu ir no consultório do meu médico e ele dizer que meu rosto se modificaria tanto a ponto de eu ter que fazer um novo RG. Fiz lá uma simulação de como eu ficaria e pensei: claro que vou fazer, vou ficar bem melhor! Rá!
Pra deixar mais claro o porque de tanta diferença, vou explicar quais mudanças foram feitas: deslocamento do maxilar superior pra frente, mudança no nariz, enxerto na boca, raspagem do osso inferior e de quebra 8 pinos e pregos dentro do meu osso. A minha radiogradia dentária é DEMAIS!

Bom, eis aqui a foto de antes (sou a da direita, right?):









E a de agora:













Diferença pra melhor, hã?
Tudo bem que tem os 6 anos a mais de evolução da espécie, mas mesmo assim, fico contente com o resultado.
O pior de tudo é: a minha genética é a de sempre, aquela lá, a horrorosa. Coitado dos meus filhos!


26 de junho de 2011

Arraiá dos Amigos!


AÔ TREM BÃO!!!!
Tô me recuperando até agora dos "estragos" que a nossa festa de aniversário causou em todo mundo.
Esse ano demos início a uma esperada tradição que tem tudo pra dar certo! Eu e mais 3 amigos fizemos o 1o Arraiá dos Amigos! Esperávamos um pouco mais de gente, mas no fim vimos que o número de amigos e pessoas lá foi certeiro!
Fizemos uma quadrilha meia boca mas muuuuuito engraçada, a decoração deu um trabalhão mas valeu a pena, as comidas tavam uma delícia e tivemos até noivinhos de biscuit!!!!
Já contei a melhor parte da festa? EU CASEI!!! Fui a noiva pelo menos uma vez na vida!!!
Eu tive até um semi-dia-da-noiva! Passei um stress com a arrumação de tudo que até cogitei casar só em festas juninas mesmo!
A festa começou cedo e não teve hora pra acabar. Aliás, acabou quando a fogueira estava quase apagando e a cerveja já não descia mais pra ninguém!
Têm gente que quer que a gente faça aniversário umas 4 vezes por ano, de tanto sucesso que nossa festinha fez! Fiquei muito feliz com a presença de todos os meus amigos, principalemente os que vieram de longe!
Das quase 700 fotos que tiramos, vou escolher uma pra deixar de lembrança aqui!
Estão todos convidados pra próxima vez, viu?
Se eu fosse você, não perdia por nada! ,)



13 de junho de 2011

Dois patinhos na lagoa


Há exatos vinte e dois anos, eis que nascia um ser branquelo, comprido, careca e banguela. Vulgo, Leticia. Coisa mais feia da mamãe! Aquela cara de prematura mesmo tendo ficado embrulhadinha na barriga da minha mãe por até quase mais que 9 meses. Preguiçosa desde sempre!
Não que eu tenha mudado muito até agora, mas... a gente tenta!
Aniversário pra mim se resume em 3 palavras: festa, presentes e feijoada. Não sei porque eu fui inventar de querer nascer sempre no frio. Isso faz com que TODAS as minhasfestasdavidainteirasemexageros, tenha sido a única época do ano que a minha casa lota de gente só pra esse povo gordo lazarento comer a (não posso negar) deliciosa feijoada da minha mãe. Mas juro, me deu no saco. Tentei fazer algo diferente esse ano, mas não, não rolou.
Ontem foi mais um dia como esse.
Mas me diverti, também como sempre. Meu telefone não parou de tocar nem um minuto - o que eu adoro! -, comi muito bolo de nozes - o que eu também adoro muito! - e fiquei com a família toda.
Semana que vem é a vez de get drunk com os amigos numa festa junina. Aí sim eu vi vantagem! :)

Conto depois como foi a segunda parte da comemoração dessa mais minha nova primavera!